CGE
alerta CGE
prefeitura.sp.gov.br
Busca:
Prefeitura da Cidade de São Paulo


O abastecimento alimentar na cidade de São Paulo é feito pelo poder público e pela iniciativa privada. Os estabelecimentos de comercialização de alimentos variam desde os pequenos espaços, como barracas ou quiosques, até os enormes hipermercados.

Equipamentos municipais

As feiras-livres, mercados e sacolões compõem os equipamentos municipais de abastecimento alimentar. Diferentes produtos são comercializados e disponibilizados à população por meio de concessão a permissionários que se estabelecem em edificações e ou locais públicos. A gestão desses equipamentos é feita pela Coordenadoria de Segurança Alimentar e Nutricional (SMSP/SG-COSAN) e das Subprefeituras, que fiscalizam e cadastram os feirantes e outros comerciantes.

Feiras-livres
As feiras-livres oferecem legumes, verduras, frutas e outros alimentos, cada uma em determinada via pública, uma vez por semana, entre 3ª-feira e domingo, na parte da manhã.

Mercados municipais
Os mercados municipais são pontos tradicionais de comercialização de alimentos de primeira qualidade, fazendo parte da história do bairro onde estão localizados e da cidade de São Paulo.

Sacolões municipais
Os sacolões municipais oferecem legumes, verduras e frutas, com preço único por quilo. Funcionam no horário das 7 às 18 horas.

Equipamentos estaduais

Bom Prato
Criado pelo Governo do Estado de São Paulo e desenvolvido pela Secretaria de Desenvolvimento Social, esse projeto visa oferecer segurança alimentar à população de baixa renda, fornecendo, em sua rede de restaurantes populares, refeições balanceadas de qualidade compostas por arroz, feijão, salada, legumes, um tipo de carne, farinha de mandioca, pãozinho, suco e sobremesa (geralmente uma fruta da época), ao custo de R$ 1,00 para o usuário, sendo que menores de seis anos de idade não pagam. O Estado subsidia o restante e a totalidade das refeições, quando necessário.


Equipamentos privados

Os dados sobre hipermercados, supermercados, médios e pequenos estabelecimentos de varejo constantes no tema "trabalho" foram extraídos das Relações Anuais de Informações Sociais (Rais) do Ministério do Trabalho e Emprego. Apesar do cadastro da Rais sofrer contínuos aperfeiçoamentos em seus critérios de levantamento e classificação, ainda se detectam casos de distorções nas informações. Um exemplo é o caso das redes de estabelecimentos empresariais, em que existe a possibilidade de todos os empregos da mesma rede serem computados na matriz. Isto explicaria a presença de hipermercados com pouco ou nenhum emprego(s). Recomenda-se, portanto, uma leitura cautelosa das informações sobre a presença de empregos nos estabelecimentos das redes de hipermercados e supermercados.


Hipermercado

Comércio varejista de mercadorias em geral com predominância de produtos alimentícios, com área de venda superior a 5.000 metros quadrados.


Supermercado

Comércio varejista de mercadorias em geral, com predominância de produtos alimentícios, com área de venda entre 300 e 5.000 metros quadrados.


Pequeno e médio varejo de produtos alimentícios

Comércio varejista de mercadorias em geral, com predominância de produtos alimentícios, com área de venda inferior a 300 metros quadrados, exceto lojas de conveniência. Não estão incluídos padarias, açougues, lanchonetes, cantinas e afins.

 

 

Secretaria Municipal Urbanismo e Licenciamento (SMUL)
Departamento de Produção e Análise de Informação/Deinfo
Técnico responsável: Luciana Chakarian Kuada
Setembro de 2017

Prefeitura da Cidade de São Paulo